Beauvoir e Algren

Nelson Algren
E o post anterior me remeteu a este casal pelo qual nutro a maior simpatia, desde que li o livro:  "Cartas a Nelson Algren: Um Amor Transatlântico." Todos sabem que sou grande admiradora da Simone de Beauvoir, e este amor vivido entre ela e o também escritor norte-americano, depressivo, mas intenso e apaixonado, através de cartas e alguns meses juntos é a prova de que mesmo sem internet o amor pode acontecer. As cartas dela para ele, mais de 300, que podemos ler neste livro, explicam bem o desenrolar da relação dos dois que durou quase duas décadas. O que não é pouco. Tendo em vista que os correios demoravam a chegar e os voos Nova York - Paris, além de assustadores demoravam muitíssimo mais tempo que o normal.
Ganhei este livro de uma amiga, com a seguinte dedicatória: "Querida Jan, uma prova de que sempre vale à pena amar!" em 2006, já tinha lido outras coisas de Simone, mas nunca estas cartas. Amar vale à pena, claro, sempre, e a leitura deste livro também!
Simone de Beauvoir, Chicago, 1952
Acho que é por isso que adoro receber cartas, cobranças não, óbvio, mas cartas. Gosto da praticidade do e-mail, a instantaneidade da coisa em si é fascinante, mas e a emoção de ter algo palpável para ler e reler?

Eles se conheceram em fevereiro de 1947, e se apaixonaram quando ela passou por Chicago e foi recepcionada por ele, em sua casa simples, mas que virou um ninho de amor que ela sempre tratava com carinho. Já em 17 de maio do mesmo ano Simone envia sua primeira carta de amor a Nelson, a última é enviada em novembro de 1964.
Escolhi esta foto de Simone de propósito, ela foi tirada pelo fotógrafo Art Shay, amigo de Nelson Algren, ela havia ido tomar banho, e quando saiu e ficou se penteando ele não resistiu e tirou a foto, a única reação de Simone foi: "Você é um rapaz malvado"

Comentários

Isa disse…
*Fiquei louca pra ler esse livro...

Postagens mais visitadas deste blog

Padroeira do Recife

Está chegando...

Heróis literários ou Forever 17