21 de setembro de 2014

Uma mulher







Conheci a carioca Maria Rezende através do poema Pau Mole, sim é este o nome e vale muito clicar e ouvi-la declamando. E aí me apaixonei pela poesia da moça, recomendo que vocês ouçam dela também, o belo poema Risco. Ela é de uma poeta da novíssima geração, que começou a difundir sua obra através da internet, apresentações e possui dois livros publicados. Apreciem!

18 de setembro de 2014

Das dores e delícias de ser mulher

Depilação

Neste caso só dor mesmo, delícia nenhuma. Fora o vexame. Eu bem que podia ser menos índia.


TPM

Complicado, principalmente quando o P serve para pré e pós. Mas não sou do tipo raivosa, sou maus do tipo chorosa, uma verdadeira drama queen.
Mas, há delícias sim e compensam as dores.

12 de setembro de 2014

Nunca mais é dia 05 de outubro...

Antes de trabalhar em um Instituto de Pesquisas eu também desconfiava e muito de todo e qualquer resultado que visse pela frente, até porque eu nuca fui entrevistada e não entendia essa coisa de número de entrevistados,  mas nada como estar há mais de um ano trabalhando com pesquisas e finalmente entendendo como funcionam. Primeiro e antes de mais nada, a coisa não é feito na doida como algumas pessoas pensam. Acreditem, por trás do processo que envolve muito trabalho, há profissionais competentes, a começar pelo estatístico responsável, que, baseado em dados técnicos e com os dados do último Censo do IBGE, sorteia as cidades que serão pesquisadas, nas diversas regiões, em zonas urbanas e rurais.
Vamos tomar como exemplo Pernambuco, o estado possui cinco grandes regiões, Recife/Região Metropolitana, Zona da Mata Sul, Zona da Mata Norte, Agreste e Sertão, e é dentro dessas regiões com cotas de questionários condizentes com o número de moradores que é planejada a pesquisa. Recife por ser maior e a capital também é dividida por bairros.
E são dois dias de trabalho intenso para os pesquisadores, que chegam mega cedo, recebem treinamento, sim todas as vezes um cientista político faz esse treinamento, mesmo que os pesquisadores estejam cansados de fazer pesquisas e serem treinados, e saem bem cedinho em suas respectivas vans. Aqui ficamos com dois pontos de liberação de pesquisas, Recife e Petrolina, porque como todos sabem há cidades que ficam muito longe.
Outra coisa, as pesquisas que são divulgadas têm de ser registradas no TRE/TSE, então se você quiser ver o número de questionários aplicados, localidades, ler o questionário e coisas assim, é só ir até o site e verificar. E nestas pesquisas também é necessário que se faça o trabalho de checagem, que é um grupo de pessoas ligar para um percentual de entrevistados e confirmar se foram mesmo abordados nas ruas e responderam àquele questionário.
Depois vem o trabalho interno, e quando eu digo trabalho, é trabalho de verdade, muito, atá tarde todos os dias, até o resultado da pesquisa sair. Os dados não podem vazar, todos os pesquisadores assinam um termo de confidencialidade e todo o trabalho é feito de forma séria, podem acreditar.
E vocês podem estar se perguntando onde eu quero chegar falando isso. Explico, primeiro é para esclarecer a quem tem curiosidade sobre o processo, segundo porque eu me chateio quando ouço gracinhas sobre manipulação de dados, acreditem, não são, ao menos não onde eu trabalho. E segundo, essa vida de viver viajando, acordar cedo e dormir tarde, ou seja nada de sono da beleza, está acabando com o pouco de juízo que me resta. Por isso que quero que chegue logo dia 05/10 e também porque vou ter mini-férias que eu também sou filha de Deus. Nunca mais é dia 07 de outubro...

11 de setembro de 2014

De amor e outros demônios

Tomei emprestado o título de um dos livros que eu mais gosto do Gabriel Garcia Marquez porque vou literalmente falar sobre o amor, e os demônios criados pelos homens. Acho o ser humano fantástico, sério, gosto demais de gente, tendo a me dar bem com outra pessoa facilmente.
O nosso primeiro círculo social, quando começamos a interagir com outros seres humanos, é dentro da nossa família, e acho esse o mais importante de todos, porque é a partir daí que somos "forjados", temos o nosso primeiro contato com essa maravilha chamada amor, que segundo alguns pais dizem, é incondicional com relação aos seus filhos.
Esta semana vi um vídeo de um jovem que foi expulso de casa por ser homossexual, e desde então me questionei, o mundo está louco ou sou eu? Nos dias de hoje a ignorância, o preconceito, a intolerância anda ganham? Coisas assim são maiores que o amor?
Sou hétero, opção minha, mas tenho muitos amigos e amigas que não são e os respeito, amo e admiro, como sei que a recíproca e verdadeira. Porque para mim e para eles não é uma questão de orientação sexual apenas, é uma questão de amor e meus amigos qualquer maneira de amor vale a pena.
Sou católica, muito longe de qualquer fanatismo e tenho como primazia o fato de acreditar que Deus é amor! Não um Deus vingativo que vai vir castigar todo mundo que não fizer parte de determinado grupo religioso. E sim tenho outra tuía de amigos que são ateus, desses de carteirinha, tenho amigas que praticaram aborto, porque tiveram essa opção e cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, então não julgue, e sabe o quê? Amo tanto esse povo e essa pova que nem sei, alguns mais que os outros, claro.
Não consigo conceber, por exemplo, que uma família seja destruída porque um dos filhos decidiu sair da religião, como acontece com muitos Testemunhas de Jeová, para quem não sabe se uma pessoa decidir sair desta religião, todos os familiares que continuarem seguindo esta crença devem cortar qualquer contato com o membro "rebelde". Onde está o amor? Sofro por este "rebelde" que se libertou, porque sei do sofrimento dele que nunca deixou de amar os seus, apesar do exílio forçado. Mas também acredito que em uma raro momento de lucidez a família, que ficou presa às suas crenças e medos, deve sofrer ainda mais, e o que é pior, sem se dar conta do amor perdido.
E já que segundo pessoas assim eu vou pro inferno mesmo, vou dar mais motivos... Gostaria de avisar que sou doadora de sangue e de medula óssea, comemoro e muito meu aniversário e o dos outros também, voto no PT e ainda torço pelo Náutico!

1 de julho de 2014

Está tendo Copa!

Você que ainda tem paciência em ler minhas abobrinhas, pode ir sentando que hoje o post é longo e o assunto é futebol.
Primeiro e antes de mais nada todo mundo sabe que sou apaixonada por futebol, desde criança meu pai sempre me levou ao estádio e eu já havia visto jogos da seleção brasileira em amistosos, eliminatórias, Copa América. Eu tive o privilégio de ver a seleção de 1982 em campo, isso entrega minha idade, eu sei, mas fazer o quê?
Imaginem minha empolgação com esta Copa, aqui, em casa. Imaginem meu desgosto com a turma do agouro, do "não vai ter Copa" ou "Imagina na Copa". Pois bem está tendo Copa e ela está sendo um sucesso. E pela enézima vez vou voltar a falar, a FIFA não presta, todo mundo já sabe, mas é ela a organizadora do campeonato. Gastou-se muito nos estádios, outra verdade, mas ao menos eles foram erguidos, e o monte de prédios públicos inacabados, estradas que ligam nenhum lugar a lugar nenhum? Minha gente isso existia muito antes da Copa e infelizmente vai continuar existindo depois, então vamos lá: A Copa não é responsável pelas mazelas do Brasil, temos que ter em mente que 500 anos não podem ser mudados em apenas dez.
Mas voltemos ao futebol que é o assunto deste post.
Pois este ano realizei meu sonho de infância, e tive que realizá-lo também por pessoas que amo muito, e que eram tão apaixonados por futebol e seleção brasileira quanto eu, mas que infelizmente não viveram para ver este momento único aqui no Brasil. Meu pai, minha tia e minha amiga de infância. Fui a um jogo da seleção brasileira neste Mundial. E amigos, como diz aquele locutor que não deve ser nomeado, sim, este mesmo, o Voldermort, foi emoção demais, desde a hora que eu cheguei à Arena Castelão, em Fortaleza, até o apito final. Ficamos no empate, jogo tenso, eu percebi o motivo de tantas ambulâncias do SAMU do lado de fora, ver um jogo da seleção brasileira numa Copa do Mundo em casa e dentro do estádio é para os fortes de coração.
Mas valeu tudo, o esforço de pegar um ônibus à noite e viajar 12 horas, depois, já em Fortaleza, tomar o café-da-manhã e só voltar a comer no outro dia em casa, porque a comida no Castelão havia acabado, xingar e ser xingada pelos mexicanos, povo que amo e que também nos ama. Logo após a partida correr e literalmente ter que dar uma volta olímpica pelo lado de fora do estádio até conseguir sair das redondezas para pegar um táxi e voltar para rodoviária, porque no dia seguinte tinha que estar aqui, e o trabalho? Temos que cooperar com o PIB do país, né?
O Brasil podia ter vencido a partida, claro, mas olha eu nem liguei, isso não estragou em nada o momento e vamos e convenhamos nesta Copa das Copas não está tendo jogo fácil para ninguém. Seleções grandes saíram ainda na primeira fase, enquanto a Grande Costa Rica foi para as quartas-de-final, e eu ainda tive o privilégio de ver a classificação deles em cima da Itália aqui na Arena Pernambuco. E depois a classificação para as quartas em cima da minha amada Grécia, por quem eu torci, por motivos óbvios, também aqui na Arena.
Então é isso, quis dividir minha emoção com vocês e dizer que sim, está tendo Copa e olha, está lindo de se ver, agora para completar a festa, só mesmo o Brasil sendo Hexa... até rimou!

23 de abril de 2014

O Norte

O Brasil tem dimensões continentais, isso todo mundo sabe, ou ao menos quem prestou bastante atenção às aulas de Geografia, mas nós, brasileiros desconhecemos este país, e uma parcela da população é bem preconceituosa com relação aos Estados que compõem as regiões Norte e Nordeste. Sou Nordestina e sempre tive vontade de conhecer o Norte do país, mas, por incrível que pareça, é mais barato ir para Buenos Aires que para Manaus, por exemplo.

Este ano tive a oportunidade de ir a trabalho para Belém do Pará, e vim aqui dizer o quão fiquei encantada pela cidade, encravada entre a floresta e os rios, com prédios em estilo neoclássico belíssimos, um lindo rio, o animado e eclético Ver-o-Peso, o Theatro da Paz, muitas mangueiras e muita devoção a Nossa Senhora de Nazaré... Fico imaginando a beleza do Círio! Um povo bom, que vivendo em clima equatorial está mais que acostumado com a chuva diária e no mesmo horário:

 Mana, a gente se encontra antes ou depois da chuva?

Valorizem o Norte do país também, o Sul, o Sudeste, o Centro-Oeste e o Nordeste são lindos e são Brasil, o Norte também. E graças a Deus por este país tão belo e diverso.

7 de março de 2014

08 de Março

Como poucas coisas mudaram e a violência contra a mulher continua "graçando" costumeiramente aqui no Brasil, especificamente em Pernambuco, vou deixar o link para um post que escrevi em 2006, e vocês me digam como estamos.

Beijos meus amores.

Dia Internacional da Mulher

6 de fevereiro de 2014

Uma nova odisseia, dessa vez com o Banco Itaú

Eu tenho uma relação de ódio e ódio, nada de amor neste caso, com os bancos em geral e alguns em particular. Apesar de já ter tido uma odisseia com a Caixa Econômica Federal, que você pode ler aqui, eu gosto da Caixa. Há mais de 10 anos eu tinha um Unicard, e quando houve a fusão com o Itaú eu detestei, mas como faz muito tempo que tenho esse cartão sigo com ele.
Minha mãe todos sabem, usa marca-passo e sofre insuficiência cardíaca, para complicar um pouco meu irmão teve um avc e fica complicado para ela sair de casa, mas eu não vim aqui chorar as pitangas, vim falar mal do Itaú. Ontem, por motivos óbvios, fui retirar o dinheiro dela e por problemas no caixa eletrônico da agência 364, ficou um saldo. Qual não foi minha surpresa quando hoje pela manhã vi que a conta dela estava zerada. O Itaú? Ah me fizeram escrever uma carta explicando o que tinha acontecido, tiraram um extrato, disseram que resolveriam, quando de repente não mais que de repente disseram que não, que só minha mãe comparecendo a esta famigerada agência que fica ao lado do meu trabalho... Qual a parte do ela não está podendo sair de casa que eles não entenderam? Então por completa falta de boa vontade e burocracia desnecessária ela vai sair prejudicada?
I don't think so!
Vamos ao Banco Central!

5 de fevereiro de 2014

Lovely things, parte II

E lá vamos a mais uma sessão coisinhas fofonildas:






Como as fotos são autoexplicativas não vou falar muito, até porque vocês já sacaram que sou fã dos minions, né?

Bisous

27 de janeiro de 2014

Lovely things, part 1

Ou coisas fofonildas que eu gosto:


Sapatilhas azuis com estrelinhas que estavam em promoção e não resisti, pulseira Life, alguns berloques ganhei de aniversário, outros comprei, minion Dave que ganhei de aniversário, e um LIKE que estava em promoção e pra mocinha, e eu confesso sou a rainha das promoções que realmente valem a pena!





Guirlande de corações de tecido, que ganhei da minha amiga Ju, de Brasília, ela é uma artista em fazer coisas fofas; coleção de minions do McLanche Feliz; Famalicão, meu galinho de Barcelos que ganhei dos amigos portugueses do Nuorte; e minha caneca porta trecos da Mafalda que ganhei da minha irmã.

Livro, Eu me Chamo Antônio, uma coletânea de poemas/pensamentos, que apesar de eu gostar muito do meu Kobo, tem ser comprado em formato livro de papel, porque a diagramação é fenomenal, e meu estojo, depois que voltei às aulas na Pós, percebi como um estojo faz falta.

23 de janeiro de 2014

Facebook X Blog

Vocês lembram que em 2009, 2010 e 20111 eu era um viciada em Twiitter? Pois é, agora não sou mais, migrei o vício para o Facebook. Mas, e todos nós sabemos que sempre há um mas, o Facebook me fez abandonar o blog, porque ele permite que eu escreva o quanto quiser, ou seja faça vários posts diários, e o blog em si meio que perdeu o sentido.
Confesso que sinto saudades do mundo da blogosfera e que não tenho coragem de fechar o Koukla, até hoje me arrependo de ter perdido, tudo que escrevi no webloguer, antes de mudar para o blogger, mas enfim, ao menos tenho todos os templates guardados. E neste ínterim, sempre que possível apareço por aqui, vou colocando a casa em ordem e dando notícias. E como este ano teremos Copa do Mundo aqui no Brasil, é fato que vou acabar aparecendo mais.
Beijos e até a próxima.

1 de janeiro de 2014

Livros, sim!

Ganhei muitos livros de aniversário, como sempre, foram quatro e três já foram lidos, todos altamente recomendáveis.
Chá de Sumiço é o último livro sobre as irmãs Walsh, claro que se você não leu Melancia, Férias, Los Angeles e Tem Alguém Aí? pode ler apenas Chá de Sumiço, mas vou logo avisando que perde muito da graça. A irlandesa Marian Keyes sempre consegue divertir tratando de temas pesados, dessa vez é a depressão, mas sem pieguice e sem dramas, ela já falou sobre aborto, alcoolismo, drogas ilícitas, problemas sérios, mas sempre com uma leveza e bom humor característicos.
O segundo livro lido foi O Diário de Bridget Jones: Louca pelo Garoto, este eu fortemente recomendo a leitura dos dois Diários anteriores, porque é necessário para que faça sentido. Ele tem uma triste surpresa, que eu pensei que iria acabar com tudo, mas não, Bridget volta como sempre, eu diria melhor que nunca, aos 51 anos, apesar de dizer a todos que tem 35 e com dois filhos pequenos, com 7 e 5 anos respectivamente. A leitura é deliciosa, emocionante e divertida, afinal não é à toa que Bridget é um dos meus alter-egos.
O terceiro livro lido trata de uma série viciante, The Walking Dead, e do personagem que apesar de mal, eu particularmente amo, O Governador. O livro retrata todo o caminho seguido por ele após o apocalipse zombie, e como ele se transformou neste personagem marcante. O final do livro é completamente surpreendente, para os fãs da série, e em especial do Governador, este livro deve ser devorado, desculpem o trocadilho infame...
O próximo a ser lido é de Ítalo Calvino, o que por si só dispensa apresentações. Bom demais!
FELIZ 2014!