De amor e outros demônios

Tomei emprestado o título de um dos livros que eu mais gosto do Gabriel Garcia Marquez porque vou literalmente falar sobre o amor, e os demônios criados pelos homens. Acho o ser humano fantástico, sério, gosto demais de gente, tendo a me dar bem com outra pessoa facilmente.
O nosso primeiro círculo social, quando começamos a interagir com outros seres humanos, é dentro da nossa família, e acho esse o mais importante de todos, porque é a partir daí que somos "forjados", temos o nosso primeiro contato com essa maravilha chamada amor, que segundo alguns pais dizem, é incondicional com relação aos seus filhos.
Esta semana vi um vídeo de um jovem que foi expulso de casa por ser homossexual, e desde então me questionei, o mundo está louco ou sou eu? Nos dias de hoje a ignorância, o preconceito, a intolerância anda ganham? Coisas assim são maiores que o amor?
Sou hétero, opção minha, mas tenho muitos amigos e amigas que não são e os respeito, amo e admiro, como sei que a recíproca e verdadeira. Porque para mim e para eles não é uma questão de orientação sexual apenas, é uma questão de amor e meus amigos qualquer maneira de amor vale a pena.
Sou católica, muito longe de qualquer fanatismo e tenho como primazia o fato de acreditar que Deus é amor! Não um Deus vingativo que vai vir castigar todo mundo que não fizer parte de determinado grupo religioso. E sim tenho outra tuía de amigos que são ateus, desses de carteirinha, tenho amigas que praticaram aborto, porque tiveram essa opção e cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, então não julgue, e sabe o quê? Amo tanto esse povo e essa pova que nem sei, alguns mais que os outros, claro.
Não consigo conceber, por exemplo, que uma família seja destruída porque um dos filhos decidiu sair da religião, como acontece com muitos Testemunhas de Jeová, para quem não sabe se uma pessoa decidir sair desta religião, todos os familiares que continuarem seguindo esta crença devem cortar qualquer contato com o membro "rebelde". Onde está o amor? Sofro por este "rebelde" que se libertou, porque sei do sofrimento dele que nunca deixou de amar os seus, apesar do exílio forçado. Mas também acredito que em uma raro momento de lucidez a família, que ficou presa às suas crenças e medos, deve sofrer ainda mais, e o que é pior, sem se dar conta do amor perdido.
E já que segundo pessoas assim eu vou pro inferno mesmo, vou dar mais motivos... Gostaria de avisar que sou doadora de sangue e de medula óssea, comemoro e muito meu aniversário e o dos outros também, voto no PT e ainda torço pelo Náutico!

Comentários

Roseane Viana disse…
Jan que legal que você voltou ao blog. Seu post está muito legal, temos muitas coisas em comum.
O FB está detonando a blogosfera, mas lá é tudo tão instantâneo, passageiro. O blog não, ele fica. Acho que por isso continuo postando.
Beijos e bom final de semana!

Postagens mais visitadas deste blog

Padroeira do Recife

Está chegando...

Heróis literários ou Forever 17