O ato de confessar


Eu como boa católica que sou não gosto de me confessar, mas também como boa católica que sou sempre me confesso quando se aproxima a Páscoa. Ontem foi dia de confissão lá na igreja.
O dia começou horrível, não melhorou nada e em consequencia eu nunca fui tão necessitada para uma confissão.


pausa explicativa


A minha confissão é uma coisa meio sui generes, eu chego e digo padre, pode colocar tudo e um pouco mais na minha conta que as únicas coisas que nunca fiz foi matar e roubar, mas o resto, não sei não...de preferência me confesso com um padre velhinho, meio surdo e gringo porque ninguém se entende, mas no final tudo dá certo. Deus me conhece pelo avesso, e me entende melhor do que qualquer ser humano jamais me entenderá.

Teve uma vez que eu quase saí aos tapas com o padre que estava me confessando, divergência séria de opiniões, e eu não fico ouvindo calada. Mas no final deu tudo certo, eu não bati nele nem nada que o valha.

E nunca jamais em tempo algum me confesso com um padre amigo...até ontem.


despausa


Cheguei umas 8h da noite na igreja e tinha uma fila de dar medo, eu só pensnado meu Deus do Céu, eu chorando, com esta cara de Madalena, daqui a pouco vão me apedrejar. Mas nada disso, a minha cabeça doía horrores e Pe. Luciano disse que me atenderia em confissão porque já eram quase 11h da noite e eu já estava acabando o estoque de analgésico dele...não tive como correr, né?

Lá fui eu, cabeça estourando, cara de quem morreu e esqueceram de enterrar...só que quando eu cheguei ele pegou nas minhas mãos e disse que é que você tem, a partir daí conversamos, ele me disse umas coisas lindas a meu respeito, que eu serei eternamente grata pela forma como ele me enxerga (eu queria me enxergar assim também), e saí de lá com esta confissão na conta de uma das melhores que já fiz na vida. Graças a Deus que tenho amigos, eles sempre me salvam, mesmo sem saber de que.
Foto: com Pe. Luciano, no aniversário dele ano passado.

Comentários

Isa disse…
ô menina isso lá é jeito de abraçar um padre???
Rsrsrsrsrs
Isso diria minha mãe ao ver a foto,
mas esses padres fofoletes amigos da gente tem que apertar mesmo.
Beijos.
Nanda disse…
Na última vez que me confessei como você sempre faz; os dinossauros caminhavam sobre a Terra.rs - Mas acho que Deus operdoa! =) Beijos.
Luma Rosa disse…
Jan, só me confesso quando viajo para a terrinha. Os padres daqui onde moro não tenho afinidade. São secos, distantes, esquisitos... acho que mandam pra cá os piores conselheiros :(
Agradeça a Deus ter um amigão do lado! Beijus,
Zany disse…
Não pude deixar de rir ao imaginar a cena: a anja Jan ajoelhada diante de um padre gringo, velhinho e meio surdo!!Kakakaka!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Virtual ou Real?

Está chegando...

Heróis literários ou Forever 17